sábado, 3 de dezembro de 2016

A morte de Xavier

Enrijecido pela febre não desanimava, sempre olhava para ver se o chinês vinha. Conversando com Antônio decidiu hospedar-se no navio Santa Cruz, porque a cabana estava muito fria e sem qualquer conforto. Contudo, só permaneceu uma noite no navio, não suportou o balanço da embarcação pelas ondas do mar. Assim que amanheceu, voltou a terra trazendo um agasalho e algumas amêndoas. Seu corpo parecia uma brasa acesa por causa da febre. Um português amigo levou-o para a sua cabana e o sangrou. O Santo desmaiou e depois começou a delirar: “MÃE DE DEUS tem misericórdia de mim... JESUS, Filho de Davi, tem misericórdia de mim.” E assim permaneceu durante seis horas aproximadamente. A febre continuava forte. Dias após perdeu a fala. Antônio disse posteriormente: “Parecia que NOSSO SENHOR queria levá-lo rapidamente e preparei-me para permanecer na companhia dele. De quarta-feira quando agravou o seu estado, até sábado quando faleceu, muito pouca alimentação ele acolheu. Observei que na madrugada de sábado dia 3 de Dezembro de 1552 ele ficou olhando fixamente o crucifixo. Ao amanhecer, mantinha-se na mesma posição. Depois fez um movimento como se quisesse abrir os braços, mas mantinha o crucifixo seguro em sua mão direita junto ao peito. Estando somente eu e ele, aproximei uma lâmpada para iluminar melhor a sua face, e então, ele entregou sua alma a DEUS. Sua missão estava encerrada.” Uma paz celestial envolveu o seu rosto. Naquele momento, CRISTO levava para o Céu a alma de seu Santo Apóstolo das Índias e do Japão. Tinha 46 anos de idade e havia percorrido mais de 120.000 quilômetros pelos caminhos mais difíceis e perigosos, conquistando corações para o SENHOR. Em vida, quem olhava o seu rosto simpático e sorridente, ou se aproximasse dele, sentia o calor de sua alegria interior e de sua bondade. Quando pregava o Evangelho, mais que os seus argumentos, convencia por sua santidade, pelo seu exemplo de homem e por um caráter firme, fiel e uma poderosa força de intercessão junto ao CRIADOR. Através de Xavier, DEUS realizou impressionantes milagres para provar que ele era um Apóstolo do SENHOR. Os portugueses do barco Santa Cruz vieram prestar-lhe uma homenagem de despedida. Antônio, ajudado por dois mulatos colocou o corpo do Santo num rústico caixão de madeira e levou-o num barco, para o outro lado do porto. Colocaram bastante cal no ataúde para apodrecer rapidamente o corpo e o enterraram. Eles queriam apodrecer o corpo porque seria mais fácil levar somente os ossos, quando fossem transportá-lo de volta. Passaram-se três meses. O navio Santa Cruz iniciou os preparativos para retornar a Málaca. Antônio conversou com o capitão da embarcação e foram desenterrar o corpo de Xavier para levá-lo. Quando desenterraram e abriram o caixão, ficaram surpresos e admirados, não tinha cheiro algum e o corpo estava perfeito, como se  ele estivesse dormindo. Colocaram-no num caixão melhor, fecharam e untaram com breu e o embarcaram no Santa Cruz. Em Málaca o povo recebeu o corpo do Santo com grande fervor e entusiasmo. E ele agradeceu aquelas homenagens intercedendo em favor daquela gente. Existia na cidade uma grande mortalidade causada por uma febre maligna. Com a chegada do corpo do Santo, o “andaço” da febre desapareceu e a mortalidade cessou imediatamente. Um enfermo beijou a mão do Santo e ficou instantaneamente curado. O SENHOR realizou muitos milagres, atendendo as suplicas do povo que rezava diante do corpo de Xavier, pedindo a sua eficaz intercessão junto a DEUS. Depois o levaram para Goa. Lá também sua chegada foi comemorada com muitas honrarias e festividades. Até hoje o corpo de São Francisco Xavier é conservado incorrupto na Igreja do Bom Jesus, onde recebe diariamente a devoção dos fieis. Xavier foi canonizado no dia 12 de Março de 1622. O Papa Benedito XIV em 1748 outorgou-lhe o título de Patrono do Oriente. Em 1904, o Papa Pio X deu-lhe o título de Patrono da Propagação da Fé e Patrono Universal das Missões. O Papa Pio XI proclamou Francisco Xavier juntamente com Santa Teresinha do Menino Jesus, padroeiro universal das missões. Foi considerado o maior de todos os missionários, sendo chamado “O Gigante da História das Missões”. Mesmo depois do falecimento de Xavier, os Jesuítas durante dois séculos continuaram partindo de Goa para evangelizar o Oriente. Ele foi o grande Apóstolo dos tempos modernos, como São Paulo foi o notável Apóstolo nos tempos antigos. Missionário de valor especial, hoje nos deixa admirados com suas obras portentosas. Foi o grande conquistador do Oriente que abriu caminho para um exército de missionários, porque verdadeiramente ele despertou o espírito missionário na cristandade. Dizia o Jesuíta Araoz, “Xavier  com suas cartas não fazia menos frutos na Espanha e Portugal, do que nas Índias com sua pregação direta”. Suas cartas maravilhosas eram copiadas e enviadas por todas as partes. São Ignácio de Loyola as multiplicava! João III Rei de Portugal, queria que as cartas de Francisco fossem lidas em todas as Igrejas, porque elas suscitavam as vocações missionárias e revelava o extraordinário exemplo de sua vida para as pessoas. Afirmam os hagiógrafos de Francisco Xavier, que em todas as sextas-feiras de Janeiro a Dezembro de 1552, o seu último ano de vida, aquele Crucifixo do Castelo de Xavier em Navarra, na Espanha, derramou sangue das preciosas chagas de JESUS. Subitamente parou de derramar sangue após o dia 3 de Dezembro de 1552, quando ele morreu. Aquele sangue sagrado do SENHOR, coagulado nas suas Chagas no Crucifixo, é admirado e venerado por uma avalanche de peregrinos de todas as partes do mundo, que visitam o Santuário.   Amável São Francisco Xavier, humildemente adoro a Divina Majestade e dou graças pelos singulares dons que o SENHOR lhe concedeu em vida e pela glória que deles gozais. Suplico-lhe com todo o afeto da minha alma, que consiga de DEUS por sua poderosa intercessão, a graça para que eu possa viver e morrer santamente. Peço também que consiga do CRIADOR a graça que necessito no momento (aqui faz o seu pedido). Se aquilo que eu peço não convém a maior glória de DEUS e nenhum bem trará a minha alma, quero alcançar somente aquilo que seja mais conveniente para a minha vida. Amém. (PAI NOSSO + AVE MARIA + GLORIA) ORAÇÃO FEITA POR ELE DEUS ETERNO, CRIADOR de todas as coisas, eu VOS suplico: desperte as almas dos infiéis fazendo com que sejam a Sua Imagem e Semelhança; desperte-os PAI CELESTIAL do torpor da indiferença em que vivem, lembrando que JESUS CRISTO VOSSO FILHO Unigênito, derramou o seu precioso sangue e padeceu na Cruz também por todos eles; não permita que o VOSSO FILHO continue a ser desprezado por eles; ao contrário, que ELE seja amado e louvado com preces e orações dos Santos da Igreja e daqueles que O amam verdadeiramente; despertai os infiéis por vossa imensa misericórdia e se esqueça de suas idolatrias e infidelidades, fazendo que eles conheçam o SENHOR JESUS, que é vida, nosso caminho, saúde e ressurreição, que nos redimiu e salvou e a quem devemos agradecer e glorificar pelos séculos infinitos. Amém.     1 - Romaria em Goa para pedir graças ao SENHOR pela intercessão do Santo; 2 - Altar na Igreja de Bom Jesus em Goa; 3 - Imagem do Santo na parede da Igreja de São Pedro em Málaca.    4 - Igreja de São Francisco Xavier em Goa, na Índia; 5 - Altar do Santo em Goa; 6 - Capela de madeira como ele construía em todas as aldeias.  Próxima Página  Página Anterior Retorna ao Índice