quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Conselhos de são Francisco Xavier retirados de suas cartas

Fragmentos de cartas de São Francisco Xavier (1506 – 1552) 1. Confiança em Deus: – “Deixar de confiar em Deus seria uma coisa muito mais terrível do que qualquer mal físico” – (Carta sobre viagem marítima, ameaçada por tempestades e piratas, rumo a China).  – “Tenho sempre na minha mente e ante os meus olhos algumas palavras que ouvi nosso padre Inácio repetir, que nós devemos nos esforçar muito para conquistar-nos a nós mesmos, e tirar de nossos corações qualquer medo ou ansiedade que possa impedir o crescimento da confiança em Deus.   Há uma grande diferença, também, entre o homem que confia em Deus quando tem tudo o que precisa, e aquele que confia em Deus quando nada possui. Também, uma coisa é confiar em Deus quando a vida está segura, livre de perigos, e outra quando há perigo iminente de destruição. Penso que aqueles que vivem em perigo contínuo de morte chegarão a se cansar desta vida e desejar morrer para estarem sempre com Deus no Céu, porque nossa presente condição mortal é, na verdade, somente uma morte contínua, um exílio da glória para a qual fomos criados”  –  (Carta para jesuítas da Europa). 2. Como obter a humildade: “Em todos os caminhos da vida procura e deseja ser humilhado e tratado como alguém sem importância alguma, porque sem a verdadeira humildade nunca conseguirá crescer espiritualmente ou ajudar o próximo, ser aprovado pelos santos, agradar a Deus ou perseverar nesta menor Companhia (os Jesuitas), a qual não pode tolerar homens orgulhosos e arrogantes, apegados às suas próprias opiniões e dignidade pessoal; pois tais pessoas nunca fazem bem ou ajudam outras pessoas” – (Carta a um noviço jesuíta). 3. Uma advertência: “Cuidado com as pessoas que falam para você sobre suas necessidades físicas mais do que sobre suas necessidades espirituais” –  (Carta ao jesuíta Gaspar Berze). 4. Ciúmes entre cristãos ? “Um diz:  Eu o faço, e outro: Não, deixe eu fazê-lo; e um terceiro: Porque não vou fazê-lo, não quero olhar você procurando fazê-lo. E há mais outros que dizem: Eu faço todo o trabalho e a outra pessoa é que recebe gratidão e recompensa. E assim o tempo passa, cada um procurando sua própria vantagem, e o serviço de Deus não é feito” –  (Carta ao rei João III de Portugal).